Repórter Guaibense

Quinta-feira, 20 de Junho de 2024

Notícias/Geral

Moradores do Engenho abraçam simbolicamente a escola Ismael Chaves Barcellos

Com 140 estudantes de ensino fundamental, a instituição de mais de 60 anos de história foi uma das mais atingidas na enchente

Moradores do Engenho abraçam simbolicamente a escola Ismael Chaves Barcellos
Ricardo Minguelli/Arquivo Pessoal
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Moradores do bairro Loteamento do Engenho "abraçaram" simbolicamente a escola estadual Ismael Chaves Barcellos no último sábado (1º). Com 140 estudantes de ensino fundamental, a instituição de mais de 60 anos de história foi uma das mais atingidas na enchente que devastou Guaíba e grande parte do Rio Grande do Sul em maio.

A ação faz parte da mobilização dos moradores do bairro da região central da cidade, que pressiona os órgãos públicos com suas inquietações acerca das causas e efeitos da enchente. 

O morador Afonso Maciel disse que chegou a hora de extravagar a dor que todos estão sentindo e dar as mãos como a comunidade deu na escola considerada símbolo do bairro. "Vamos nos manter unidos e com a força que temos que ter para deixar o Engenho como era antes, e se Deus quiser vamos conseguir", destacou.

Leia Também:

Nenhuma resposta concreta foi fornecida até agora pelos poderes e instituições, de acordo com o morador Valdir Boeira. A prefeitura municipal não respondeu ao requerimento de documentos técnicos acerca das obras e sistemas de drenagens das águas nas margens da BR 116, nos novos empreendimentos em atividades próximos dos bairros Chácara das Paineiras e Parque 35 e no Conduto Celupa. 

"Aos moradores só restam continuarem mobilizados para chamar a atenção da imprensa, dos poderes e instituições para que as providências necessárias sejam tomadas e esse tipo de tragédia não volte mais a ocorrer", afirma Boeira.

Ele também pontuou que a audiência pública, realizada na Câmara Municipal de Vereadores na semana passada, ainda não surtiu efeitos apesar de estarmos em situação de calamidade pública com a maioria dos moradores desabrigados e desalojados.

 

Moradores acionam o Ministério Público

Na tarde desta segunda-feira (3), representantes da comissão de mobilização de moradores do Bairro Engenho foram recebidos pela Promotoria de Justiça de Guaíba para tratar das causas e consequências. A audiência com os promotores de Justiça, Dra. Karina Licht Orlandi e Dr. Fernando Sgarbossa, durou quase três horas.

Os promotores afirmaram que acompanharam a audiência pública e que estão analisando uma série de documentos, ouvindo pessoas e fizeram uma série de questionamentos solicitando documentos específicos que serão providenciados.

A comissão manifestou a preocupação com o lixo orgânico, restos de móveis, eletrodomésticos e entulhos que se acumulam nas ruas, que com as chuvas da madrugada passada e dos próximos dias fatalmente irão se deslocar para o leito do Lago Guaíba. Da mesma forma, se faz necessário fazer a limpeza dos bueiros que estão entupidos de terra, areia e lama e não darão vazão às águas das próximas chuvas. Nesse sentido, os promotores irão oficiar a prefeitura municipal para que ela faça a coleta do lixo e a limpeza das bocas de lobo para evitar novos alagamentos e contaminação da água do Guaíba.

Comentários:

Veja também