Repórter Guaibense

Notícias/Educação

Comunidade dá abraço simbólico ao prédio abandonado da escola Vovó Flor, no Centro

O prédio da API foi interditado pelo Corpo de Bombeiros em 2018

Comunidade dá abraço simbólico ao prédio abandonado da escola Vovó Flor, no Centro
Pedro Molnar
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Professores, ex-diretoras e alunos da escola Vovó Flor deram um abraço simbólico ao prédio abandonado da entidade, no centro de Guaíba, no final de tarde desta quarta-feira (24). Eles pedem agilidade no processo de doação do terreno abandonado para prefeitura reformar dois prédios com capacidade para atender cerca de 400 crianças da rede pública municipal.

O prédio da Associação de Proteção à Infância (API), que atendia crianças em vulnerabilidade social desde 1938, foi interditado pelo Corpo de Bombeiros em 2018 e o atendimento para essa comunidade passou para duas casas que atualmente estão alugadas pela prefeitura no Loteamento no Engenho. E com uma preocupação: o proprietário de um imóvel solicitou a casa até o fim de 2021.
 
A presidente Carliana Uranga diz que há três anos familiares do ex-prefeito João Salvador Jardim tentam doar esse terreno para o poder público sendo que deve exclusivamente continuar sendo para projetos voltados à educação. O processo foi engavetado no ano passado que resultou em uma carta cortando o contrato e as tratativas com o antigo governo [do ex-prefeito José Sperotto] que, segundo ela, não teve interesse em receber a área. 

"Eu perante a lei estou a aposentada há quatro anos, mas somente estarei aposentada perante a lei de Deus quando a Vovó Flor voltar para cá. Então tenho esse compromisso. A aclamação dos professores, ex-professores, pais e da família Jardim é que a prefeitura receba diretamente a doação para rapidamente o espaço, após reformado, volte a acolher a Vovó Flor na casa legítima dela para sempre", disse.

O laudo técnico da Secretaria de Meio Ambiente, Planejamento e Gestão Territorial aponta que os dois prédios possuem necessitam de reforma devido rachaduras na estrutura para que futuramente retome o atendimento para crianças com a devida segurança.

O prefeito Marcelo Maranata esteve no abraço simbólico e exaltou que o projeto de doação ao terreno está quase pronto para ser em encaminhado para votação na Câmara de Vereadores ainda este ano, para que posteriormente seja reformado e e retomado o atendimento para os estudantes da escola Vovó Flor.

"Eu sei da emergencialidade que a gente está vivendo nas escolas e as dificuldades que essa está enfrentando. É uma agilidade que a gente está tendo. Quero deixar aqui meu compromisso na certeza que estamos fazendo o melhor para as pessoas que mais precisam", disse

Comentários:

Veja também