Repórter Guaibense

Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

Notícias/Geral

Guaíba calcula cerca de R$ 75 milhões de prejuízos após a enchente de maio

A cidade estima R$ 26 milhões de perda somente no agronegócio.

Guaíba calcula cerca de R$ 75 milhões de prejuízos após a enchente de maio
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Guaíba estima que teve cerca de R$ 75 milhões de prejuízos na economia após a enchente que atingiu grande parte da cidade em maio. Quase 300 empresas foram afetadas, de acordo com o mapeamento da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico desta quinta-feira (13).

A cidade calcula cerca de R$ 48 milhões nos setores de comércio, indústria e serviços e R$ 26 milhões somente no agronegócio.

"A gente identifica que fomos bastante afetados, o setor produtivo rural e as empresas de serviço, comércio e as pequenas indústrias. A maioria nos bairros Cohab e Santa Rita, e depois Centro, Loteamento do Engenho e Alvorada. Houveram perdas nos restaurantes da avenida João Pessoa (a Beira), como o tradicional Caisinho, o Ricardo e as lancherias Quiero Café e Tia Nadir", afirma o gerente da Agência de Desenvolvimento Econômico e Social, Cleber Quadros.

Leia Também:

O Sebrae RS vai oferecer apoio para micro e pequenos negócios atingidos pelas enchentes no RS. O trabalho auxiliará as empresas no mapeamento de suas necessidades para recuperação do espaço físico, de materiais e de insumos por meio da consultoria Sebraetec Supera.

As empresas beneficiadas receberão avaliação e consultoria do time do Sebrae RS e, após, reembolso de até R$ 15 mil sobre os custos com reparos, manutenção ou reposição de equipamentos e mobiliário afetados pelos alagamentos. Assim, o reembolso será por porte. Microempreendedor individual (MEI) poderá receber até R$ 3 mil, microempresa até R$ 10 mil e empresa de pequeno porte até R$ 15 mil.

Para Quadros, é preciso construir ações com os bancos e os governos estadual e federal que possam colaborar com as empresas para que sejam reconstruídas novamente. 

"O cenário é impactante, pois houve um valor bem considerável de perdas na agricultura, em empresas e nas pequenas indústrias. Isto traz um reflexo grande dentro da nossa economia local, então a gente precisa cada vez mais que as pessoas comprem em nossa cidade e fortaleçam esses negócios para virar essa chave. Queremos gerar emprego e fortalecimento econômico da cidade", acrescenta.

A Agência de Desenvolvimento Econômico ainda está desenvolvendo uma cartilha com os benefícios para entregar nas empresas, entidades de classe e contadores para que todos possam saber das demais possibilidades de fomento ao setor produtivo.

Comentários:

Veja também