Repórter Guaibense

Notícias/Cidadania

Junho Vermelho: grupo Amor nas Veias realiza seminário sobre doação de sangue

Para doar sangue, basta ter entre 16 e 69 anos

Junho Vermelho: grupo Amor nas Veias realiza seminário sobre doação de sangue
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O grupo Amor nas Veias promoveu o painel sobre doação de sangue nesta quarta-feira (22) no plenário da Câmara de Vereadores de Guaíba. Sob o tema "seu gesto salva vidas" e em alusão a campanha Junho Vermelho, o evento abordou sobre a importância do simples gesto de doar sangue. 

Os painéis tiveram como ministrantes a assistente social do Hemocentro do Rio Grande do Sul, Gesiane Ferreira; o mentor e coordenador do Amor nas Veias, Roberto Silva; a secretária de Saúde, Eliane Ribeiro; e o coordenador da UTI do Hospital Nelson Cornetet, Evaldo Soares.

Segundo Josiane, há sempre um número insuficiente de doadores em comparação a quantidade daqueles pacientes que precisam de uma doação. "A gente sempre fala que uma doação sempre salva até quatro vidas, porque aquela bolsa de sangue de 450ml vai ser fracionada em quatro pessoas diferentes. Na verdade aquela bolsa de sangue não salvará somente quatro vidas, por trás de cada um desses pacientes existe uma família e amigos que se importam sobre a questão de saúde desse paciente em questão. O nosso ato de ir até o hemocentro modifica a vida de muitas pessoas", destacou.

O Amor nas Veias existe há quase dois anos e mensalmente, com um transporte fornecido pela Secretaria Municipal de Saúde, os voluntários vão aos bancos de sangue da Porto Alegre. E, além de promover as doações, os participantes realizam oficinas para divulgar e captar mais doadores. A ideia é quem no próximo semestre aconteça a segunda edição do projeto Sangue de Mulher e, em novembro, a ida aos bancos de sangue em alusão ao dia da Consciência Negra. 

A UTI do Hospital Nelson Cornetet atende pacientes de todo o estado, e muitas vezes precisam da doação de sangue. "O paciente jamais vai deixar de receber sangue, muitas e muitas vezes ligo para o Hemocentro e imploro para conseguir uma bolsa de sangue. O pessoal entende a minha situação e sempre me atendem, sempre dão um jeito de fornecer bolsa de sangue", conta o coordenador da UTI do Hospital Nelson Cornetet, Evaldo Soares. "A doação de sangue é voluntária, gratuita, e no Brasil nós não compramos o sangue. E como funciona isso na rede pública? Todo o hospital público abastece do Hemocentro do estado do Rio Grande do Sul", esclarece.

Para doar sangue, basta ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos devem possuir consentimento formal do responsável legal); pesar no mínimo 50 kg; estar alimentado. Não ingerir alimentos gordurosos antes da doação; ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas; e apresentar documento oficial de identificação com foto.

Comentários:

Veja também